Registe-se grátis
Nome País
Apelidos Código Postal
E-mail Profissão
Palavra-chave
Repetir palavra-chave
Especialidade
   
Enviar dados significa que está de acordo com a Política de Privacidade de SIMPOSIUM/UBM Medica Portugal e que foi devidamente informado.
Reenviar a palavra-passe!
  • Introduza o endereço de e-mail com que se registou em Simposium.pt, e enviaremos de imediato uma nova palavra-passe.
   
    
    


DUALGAN


Comp. revest. 300 mg

  1. Dados Gerais
  2. Monografia
  3. Interacções
  4. Equivalências Internacionais
  5. Representante



<div class="monohtml"> <div class="Section1"> <p class="producto">DUALGAN</p> <p class="Galnica">300&nbsp;mg Comprimidos revestidos</p> <p class="Apartado2"><a id="apartado_1">COMPOSIÇÃO QUALITATIVA E QUANTITATIVA</a></p> <p class="MsoNormal">Cada comprimido contém 300&nbsp;mg de etodolac. Contém lactose.</p> <p class="Apartado2"><a id="apartado_2">FORMA FARMACÊUTICA</a></p> <p class="MsoNormal">Comprimido revestido.</p> <p class="Apartado2"><a id="apartado_3">INDICAÇÕES TERAPÊUTICAS</a></p> <p class="MsoNormal">Osteoartrite, artrite reumatóide, espondilite anquilosante, reumatismos extra-articulares. Dores pós-operatórias e dores após traumatismos agudos.</p> <p class="Apartado2"><a id="apartado_4">POSOLOGIA E MODO DE ADMINISTRAÇÃO</a></p> <p class="MsoNormal">300&nbsp;mg duas vezes por dia. Alguns doentes também podem responder à administração de 300 a 600&nbsp;mg como dose única à noite. </p> <p class="MsoNormal"><b><i>Crianças:</i></b> a segurança e eficácia do Dualgan em crianças ainda não foram estabelecidas. </p> <p class="MsoNormal"><b><i>Idosos:</i></b> Em doentes com idade igual ou superior a 65 anos, recomenda-se precaução.</p> <p class="MsoNormal"><b><i>Outras situações:</i></b> Em doentes com insuficiência renal ou hepática, o etodolac deve ser administrado com precaução.</p> <p class="Apartado2"><a id="apartado_5">CONTRA-INDICAÇÕES</a></p> <p class="MsoNormal">Hipersensibilidade à substância activa ou a qualquer um dos excipientes; história de hemorragia gastrointestinal ou perfuração, relacionada com terapêutica com AINE anterior; úlcera péptica/hemorragia activa ou história de úlcera péptica/hemorragia recorrente (dois ou mais episódios distintos de ulceração ou hemorragia comprovada); insuficiência cardíaca grave; doentes que já sofreram de asma, rinite, ou urticária durante a terapêutica com ácido acetilsalicílico ou com outros fármacos anti-inflamatórios não-esteróides.</p> <p class="Apartado2"><a id="apartado_6">EFEITOS INDESEJÁVEIS</a></p> <p class="MsoNormal">São, habitualmente, transitórios e ligeiros. Os eventos adversos mais frequentemente observados são de natureza gastrointestinal. Podem ocorrer, em particular nos idosos, úlceras pépticas, perfuração ou hemorragia gastrointestinal (potencialmente fatais), náuseas, dispepsia, vómitos, hematemese, flatulência, dor abdominal, diarreia, obstipação, melena, estomatite ulcerosa, exacerbação de colite ou doença de Crohn. Menos frequentemente têm sido notificados casos de gastrite. Edema, hipertensão e insuficiência cardíaca têm sido notificados em associação ao tratamento com AINE. Os dados de ensaios clínicos e epidemiológicos sugerem que a administração de alguns AINE poderá estar associada a um pequeno aumento do risco de eventos trombóticos arteriais.</p> <p class="MsoNormal"><b><i>Raros:</i></b> cefaleias, zumbidos ou fadiga.</p> <p class="MsoNormal"><b><i>Muito raros:</i></b> reacções de hipersensibilidade, erupções cutâneas, reacções bolhosas incluindo síndroma de Stevens-Johnson e necrólise epidérmica tóxica, tempo de hemorragia prolongado e diminuição da agregação plaquetária, nefrite intersticial com hematúria e proteinúria, e, ocasionalmente, síndrome nefrótico e insuficiência renal, elevação das transaminases, alterações oftalmológicas, turvação da visão, vertigens, tonturas, sonolência e ansiedade.</p> </div> </div>



Publicidade Institucional



© UBM Medica Portugal   |  Campo Grande, 56 - 6º A | 1700-093 Lisboa  |  Tel. 21 799 07 60  |  Fax: 21 799 07 69